Você está acompanhando a Jornada Do Preço? Já assistiu o vídeo 02 sobre tudo o que você precisa considerar para calcular os seus preços certinho? Pois então, talvez tenha chegado à conclusão de que se colocar tudo isso no cálculo do seu preço e cobrar o que realmente deve pelo seu trabalho, vai acabar ficando fora do mercado com um preço muito acima da média.

Pra ter um negócio que tenha um bom lucro, que pague todas as contas e ainda um bom salário pra você, o preço final pode ficar muito alto e você pode estar inseguro achando que ninguém vai pagar o que você precisa receber.

 

“Se eu já não vendo o suficiente hoje, imagina cobrando mais!“

Se você se sente desconfortável com o preço que você precisaria cobrar, eu tenho uma pergunta bem importante pra te fazer pensar:

O quanto você acredita no que faz? Ou melhor, o quanto você acredita que entrega de valor para os seus clientes? O quanto eles percebem que precisam do que você tem?

Se você ainda não tem certeza vai ter agora. Olha só!

 

Exercício 01:
Faça agora uma lista de tudo o que seu produto faz pelo seu cliente. Complete a frase:
“Quando o meu cliente compra ou usa o meu produto ele (a) ________ .”

Você poderia completar esta frase assim:
– se sente mais bonito
– fica mais elegante
– recebe mais elogios
– fica com a casa mais organizada
– tem mais tempo para o que gosta
– se sente mais orgulhoso
– se sente confiante
– fica mais feliz
– tem uma vida mais colorida
– tem mais motivos para receber os amigos em casa
– tem mais vontade de trabalhar
– se torna mais produtivo, etc, etc.

Pense em como o seu cliente pode se sentir e o que ele está recebendo além do seu produto propriamente dito. Liste váááários benefícios e sentimentos que o seu produto pode proporcionar ao seu cliente. Essa lista pode ser infinita, então não economize nos benefícios.

Pensa aqui comigo, quanto alguém pagaria pra ter mais cor na sua casa? Ou receber mais elogios ou se sentir mais confiante por estar usando o seu produto? Hein? Hein? Se as pessoas fossem te pagar por cada item da sua lista dava pra vender o seu produto por um preço beeeeem mais alto. Quanto mais benefícios, quanto mais valor você entrega, mais as pessoas vão estar dispostas a te pagar por isso.

 

Entregue benefícios, não produtos.

Deu pra entender que o seu preço não é só a soma de materiais + mão de obra + taxas + etc? Só números e planilhas não são o suficiente pra você se sentir confiante com o preço que você precisa cobrar para ter um negócio realmente lucrativo.

Você precisa ter confiança de que o seu trabalho entrega valor pra quem compra. E quem vê o seu produto precisa entender os benefícios dele e confiar que VOCÊ é a pessoa capaz de entregar o que ele quer. E o fundamental para que todo esse valor que você entrega seja percebido, apreciado e desejado, é encontrar as pessoas certas que vão fazer fila para ter o que você oferece.

E se mesmo depois de confirmar que o seu produto oferece muito valor você ainda se sentir desconfortável com o seu preço e acha que ninguém vai te pagar mais por isso, preste atenção aqui:

VOCÊ NÃO É O SEU CLIENTE!!

Não é porque VOCÊ não pagaria que ninguém mais vai! Você acha caro porque é VOCÊ quem faz, porque sabe onde comprar e quanto custam os materiais. É fácil pra você fazer mas o seu cliente não sabe nada disso e nem quer saber, ele quer pagar alguém que faça. E ele vai pagar feliz e faceiro a quem entregar mais valor a ele.

Então descubra quem são as pessoas que valorizam o que você oferece e que valorizam todos estes benefícios que você acabou de listar.

 

Perrrrrgunta:
Pra quem você anda oferecendo o seu trabalho?
A resposta que eu escuto muito é: pra quem quiser comprar. RESPOSTA ERRADA!

 

Seu público não é todo mundo!

Você precisa ser específico para conseguir atingir as pessoas certas. As pessoas que enxergam valor no seu trabalho fazem parte de um grupo: o grupo do seu público ideal.

Todo mundo é gente demais, é gastar muita energia com quem nunca vai se interessar ou precisar do que você tem. Use sua energia com as pessoas certas.

 

Exercício 02:
Quem são as pessoas, ou qual o perfil de pessoas que mais precisam do que você oferece? Que te pagariam felizes por cada benefício que você listou lá no início? Pense numa única pessoa que vai representar este grupo. O que ela faz, do que ela gosta, o que ela valoriza, por onde ela anda? Como você pode oferecer o melhor serviço pra ela?

Fica muito mais fácil criar qualquer coisa, seja novos produtos ou a descrição deles na loja ou criar um post para o Facebook, você deve estar sempre pensando em uma pessoa específica. Você não tem que agradar todo mundo, só quem se interessa pelo o que você tem.

 

Deu pra entender?

Mesmo que você coloque em prática tudo o que eu venho compartilhando sobre os seus preços, nada disso adianta se você não encontrar as pessoas que percebam o valor do que você oferece e muito menos se você não tiver confiança para colocar cada peça da engrenagem no seu devido lugar pra que tudo funcione bem.

Porque isso tudo o que a gente tem conversado são partes de uma grande engrenagem que é o seu negócio e que às vezes a gente só enxerga algumas peças isoladas. No momento que você consegue ver todas e encaixar tudo certinho, toda a engrenagem começa a girar e funcionar mais facilmente.

 

Você pode estar achando que é tudo muito complicado pra fazer sozinho e que não saberia nem por onde começar. E isso pode ser porque é tudo muito novo pra você. Mas se você tivesse um passo a passo orientado te explicando como fazer cada peça dessa engrenagem funcionar no seu negócio, não seria ótimo? Não tornaria tudo mais simples?

Por isso é que a Jornada do Preço existe! Pra te orientar e mostrar que uma outra realidade é possível além daquela guerra sangrenta e desleal dos preços baixos. E se você precisa de mais ajuda além da Jornada pra fazer o seu negócio brilhar neste fim de ano, em alguns dias vou abrir as inscrições para o curso que vai te ensinar como colocar todas estas peças no lugar de um jeito que funcione de verdade pra você.

E depois que você começar a sentir as mudanças no seu negócio você vai perceber como tudo isso vai fazer mais sentido e vai se arrepender de não ter feito isso desde o início no seu negócio, pode ter certeza.

 

E se você está lendo este post durante a Jornada do Preço, aproveite e me envie suas dúvidas e perguntas por e-mail (contato@viverdecraft.com.br) que nas minhas aparições ao vivo a gente vai poder conversar melhor e eu vou tirar todas as suas dúvidas. Se você está inscrito na Jornada fique ligado no seu e-mail pra não perder nada. Se você não se inscreveu ainda corre que dá tempo. É gratuito e tem muuuuuuito mais dicas bacanas como estas por lá.

Agora faça os exercícios que eu te propus aqui e me envie o seu e-mail o quanto antes pra gente conversar depois, ok? Até mais!!!