Pense rápido e responda: quantas vezes nas últimas semanas você começou a ler o post de um blog e simplesmente pulou o primeiro e o segundo parágrafo? Talvez o terceiro também tenha sido vítima do seu total desinteresse pela “comissão de frente” daquele pobre post.

Eu faço isso direto.

Pode começar a prestar atenção. Se um post começa com algo do tipo “Hoje em dia na internet blá blá blá…” ou então “Cada vez mais as pessoas blá blá blá…”, pode ter certeza que pelo menos os dois primeiros parágrafos são cheios de textos genéricos, informações óbvias e assuntos desinteressantes.

 

Eu garanto, pode pular a “comissão de frente” pois ela é totalmente desnecessária e está ali só pra preencher espaço.

Este tipo de introdução eu fazia na redação do colégio. Na internet você precisa ser bem mais interessante que isso.

 

Ninguém tem tempo a perder com papinho chato

Pra eu parar de assistir o Santa Ajuda e dar atenção a um post que surgiu na minha frente, ele tem que ser no mínimo divertido, interessante ou informativo desde o início. Do contrário eu só passo os olhos e bléh, ignoro rapidinho e logo esqueço onde li e o que eu li (se é que li…).

Com você não é assim? Garanto que não é qualquer coisa que te faz ler um post do início ao fim. A menos que você esteja com a vida ganha, cheia de tempo disponível e sem nada melhor pra fazer. DU-VI-DO!

 

Seus clientes são zumbis, ninguém te disse?

Uma vez li um texto que falava que os internautas (ainda se usa esta palavra? Me pareceu bem demodê agora. Esta é outra já beeeeem velha, rsrsrsrs…) são como zumbis, morto vivos zapeando a internet meio sem rumo, procurando por algo que as faça despertar pra vida de novo.

Vai dizer que não é isso que a gente parece quando está na internet? Ficamos concentrados em um monte de coisa e em nada ao mesmo tempo. Parece que estas maravilhosas maquinhas de trazer conteúdo e informação vão nos sugar pra dentro e depois a gente vai sair de lá fazendo “tudo o que seu mestre mandar”, feito zumbi mesmo.

Então, se você quer que estes seres de olhar aparentemente impenetrável prestem atenção no que você tem a dizer, é preciso fazê-los acordar para enxergarem o que você está oferecendo.

 

Algumas dicas

E pra você não começar a pensar que este é mais um destes posts chatos que demoram a dar alguma informação eu vou te dar logo as dicas pra que os seus posts sejam lidos do início ao fim e você realmente consiga passar a sua mensagem.

Dica 01
Você precisa fazer os seus leitores se relacionarem com o que você está escrevendo, se sentirem parte do contexto. O início, ou a “comissão de frente”, tem que prender a atenção do leitor. Você pode começar com algo que ele se identifique.

Aqui neste post, você viu como eu comecei?

Eu poderia ter começado assim:
“Hoje em dia na internet existem cada vez mais artigos que trazem conteúdos interessantes e relevantes ao nosso dia a dia. Contudo, cada vez mais a vida agitada do mundo moderno blá, blá, blá…”

Quantas vezes você já leu textos bem parecidos com este? Confesso que pra mim é até mais difícil escrever como se estivesse escrevendo um artigo para uma revista careta.

 

Neste post, ao invés de usar o recurso “conversa pra boi dormir”, eu escolhi te colocar em uma situação em que você se visualize dentro do contexto do qual eu vou falar. Assim você percebe de cara que o assunto tem tudo a ver com você e que você PRECISA ler até o fim pra saber mais.

Ou então já vê que aqui não é bem a sua praia e nem perde tempo lendo algo que não te interessa.

Eu uso bastante este recurso, quer ver outro exemplo? O segundo post da série “Eu não sei vender” eu comecei dando uma lista de exemplos de como as pessoas criativas costumam se sentir na hora de vender os seus produtos. Quem se identificou ficou e leu tudo, mas quem não tem este tipo de problema nem deu bola.

Desta forma eu atraio as pessoas certas pro meu pequeno grande universo. Já um texto genérico não tem esta capacidade de fisgar as pessoas certas. Um texto genérico fala pra todo mundo e ao mesmo tempo não fala pra ninguém, pois ele é mais facilmente ignorado.

E já que você está lendo até aqui posso concluir que desta vez este recurso funcionou bem com você. Ehhhhh!!!! Consegui chamar a sua atenção pra algo que é interessante pra você. Então, seja bem-vinda!!!

Dica 02
Outra forma beeeem legal é contar histórias. Se for uma história sua melhor ainda. Desde que tenha relação com o assunto que você está trazendo.

As pessoas aprendem mais com histórias do que com fatos e números. Quando o leitor consegue visualizar um cenário, pessoas e situações as chances de ele realmente prestar atenção no que você está dizendo e reter a informação é muito maior do que se você começar com “Hoje em dia blá, blá, blá…”.

É muito mais divertido começar a ler um texto com uma história, pois gera curiosidade no leitor. Não precisa ser uma novela com início meio e fim, com personagens incríveis e um enredo mirabolante. Às vezes só uma pequena introdução já serve pra fisgar o leitor e iniciar o assunto de uma forma bem mais atraente.

Olha esse exemplo: outro dia li o post de uma coach americana onde ela nem chegou a contar uma história completa, ela simplesmente comentou que em um belo dia tirou 17 garrafas d’água vazias de dentro do carro dela. E o assunto do post era sobre como a gente pode perder o controle da nossa baguncinha diária e a importância de manter o nosso espaço de trabalho sempre organizado.

Com uma historinha rápida e boba, que nem está relacionada diretamente com o assunto principal do post, ela conseguiu alcançar várias coisas aqui. Quer ver?

  • Ela trouxe ao leitor algo do seu cotidiano e que ele possa facilmente se identificar, do tipo “Nossa, eu também faço coisas desse tipo!!!”
  • Ela se tornou mais próxima do leitor trazendo um traço da personalidade dela que de outra maneira ninguém saberia. Ao ler eu diria “Como bebe água essa maluca, hein!?”.
  • Ela introduziu o leitor no contexto do assunto começando com algo divertido, diferente, inusitado e que gera curiosidade sobre ela e o que ela tem a dizer. Talvez você pensasse “O que essa maluca acumuladora de garrafas tem mais pra me contar?”.

 

Histórias deixam a relação com o leitor mais próxima, por isso que é legal contar as nossas pequenas histórias do dia a dia. E se você acha que ninguém vai se interessar pelas “bobagens” do seu dia, eu te digo que bobagem é não experimentar. Tenta pra ver. Depois me conta.

Se você acha que faltam histórias suas, busque histórias e exemplos de outras pessoas que ilustrem o que você quer demonstrar.

Quer um exemplo de um outro tipo de história?
Então lê este outro post meu aqui. Tá bem divertido!

Histórias não precisam ser longas, podem ser algumas frases apenas, só pra quebrar o gelo e trazer o leitor pra mais perto de você. Pode ser como iniciar uma conversa com uma amiga. Você não começaria um papo informal com uma conversa genérica e sem graça, né?

Dica 03
Não tente parecer ser outra pessoa, o leitor percebe. Seja autêntica, escreva como se fosse uma conversa entre amigos.

Escreva o mais próximo de como você fala, assim o seu texto vai parecer vivo e com personalidade.

 

E por falar em texto com personalidade (muita personalidade, aliás!), eu encontrei esta semana o Blog do Math e eu amei!!! Por vários motivos e um deles é como ele escreve colocando a sua personalidade nos textos. Eu ainda não vi o Math falando, só vi fotos, mas só de ler os posts dá pra imaginar direitinho como deve ser a experiência de conversar com ele em pessoa. Pra mim foi o achado da semana.

Esta dica é rápida mas pra mim é a mais difícil: parecer autêntica apenas com palavras escritas… Eu tô tentando!

Dica 04
Pratique. Não desista. Experimente coisas diferentes. Seja persistente.

Não é porque você não recebeu nenhum comentário que o seu post não está sendo lido e apreciado. Nem todo mundo gosta de se expor ou dar retorno mesmo tendo gostado. Muita gente acha que não precisa interagir (e quem disse que precisa!).

Seria legal se todo mundo que curtisse dissesse alguma coisa mas no mundo real não é o que acontece, infelizmente.

Veja por você mesma, quantas vezes você elogiou algum post que tenha gostado, seja no Facebook, Instagram ou em um blog? Eu não tenho comentários nos posts do meu blog mas eu sei que tem um povinho aí que está gostando bastante pois tenho recebido um retorno bem bacana por outros meios como no Instagram e por e-mail.

Aliás, tenho recebido uns e-mails bem legais. Estou amando! Fico faceira que nem pinto no lixo cada vez que recebo e-mail de algum leitor. É ÓTEMO!!!

Dica 05
Observe. Analise os post que te prendem a atenção e te fazem ler até o fim. Eu disse LER! Não estou falando dos posts que te pegam de jeito por causa das “figurinhas” lindinhas.

Preste atenção em como o post foi escrito e porque ele te prendeu logo de cara.

De novo, estou falando do TEXTO! Claro que as figurinhas tem papel mega importante pra fisgar o leitor, mas a título de exercício vamos nos deter aqui ao conteúdo escrito apenas, ok?

Então…
Você pode até ter um conteúdo ultra bacana e que o seu público adoraria ler, mas se você não tiver a isca certa eles vão passar pelo seu post com aquele olhar petrificado de morto-vivo sem te dar a mínima. Vão dar uma espiada, dizer bléh, e vão embora tão rápido quanto chegaram.

 

Ah, e não adianta buscar fórmulas mágicas. O que funciona pra uns pode não funcionar pra outros. Lembre-se:

  • Cada público tem as iscas que funcionam melhor pra eles.
  • Cada escritor tem uma maneira própria de se expressar e que se outra pessoa copiar simplesmente não funciona.

Enfim, eu sei que não é isso o que você gostaria de ouvir, você gostaria que tudo fosse mais fácil, né? O fato é que NÃO EXISTE UMA REGRA ÚNICA PRA TODO MUNDO e por isso as dicas 4 (experimente e não desista) e 5 (observe por aí) são importantes.

VOCÊ PRECISA ENCONTRAR O QUE FUNCIONA MELHOR PRA VOCÊ E O QUE DÁ CERTO PARA O SEU PÚBLICO.

 

Mas uma coisa é certa pra nós criativos

Em se tratando de escrita na internet, a realidade pra nós que trabalhamos com arte e criatividade é uma só:

Ninguém que chegue até o seu site espera ler um post que comece com textos genéricos e informações óbvias que não cativem logo de cara.
Por isso fuja da mesmice do “Hoje em dia blá, blá, blá…”. Você pode fazer melhor do que isso. Pesquise e crie o seu jeito. Afinal de contas, SOMOS CRIATIVOS OU NÃO SOMOS?!!

 

E se o seu público quiser ler mais um texto chato e sem personalidade, é melhor que eles procurem um artigo científico ou o jornal ou a Veja pra se distrairem. Se é que isso distrai alguém. Chatiiiiiinho…

E sobre este assunto ainda tem um moooooonte de dicas que podem te ajudar na difícil tarefa de fisgar os seus leitores, mas vai ficar pra outro papo.

Por enquanto vai me contando qual a sua maior dificuldade para escrever um post? Quer um jeito fácil de começar a escrever? Começa me deixando um comentário ou um e-mail. FÁCIL DEMAAAAIS, né!!! Vai lá que eu tô esperando. Bjo!