Responda verdadeiro ou falso:

– Antes de comprar uma passagem para as próximas férias você precisa definir o destino e a data.

– Para comprar uma passagem você diz pra atendente que quer ir para um lugar melhor do que o que você está.

– Para chegar ao aniversário da Marcinha você coloca a rua e o número da casa dela no GPS.

– Para ir ao aniversário da Marcinha você diz ao universo que escolha o melhor caminho pra chegar até lá e uma luz divina te guia até o seu destino sem você se perder.
Você entendeu o que eu estou querendo dizer aqui, não é? Pra você chegar a algum lugar você precisa saber aonde você quer ir.

 

Na minha vídeo dica desta semana (lá no canal do YouTube) eu dei o exemplo da história da Alice no País das Maravilhas onde ela pergunta para o gato qual caminho ela deve pegar, então ele pergunta aonde ela quer chegar e ela responde que não sabe. A resposta dele não podia ser outra: “Então tanto faz!”.

Quando a gente não sabe aonde quer chegar qualquer caminho serve. Nós temos a tendência a saber o que a gente NÃO quer, mas e o que você quer de verdade, você sabe?

Por isso eu quero te propor um desafio. Já estamos chegando no meio do ano mas sempre é tempo de configurarmos o nosso GPS para o caminho certo.

 

Passo 01
Liste vários grandes projetos ou objetivos que você gostaria de alcançar até o final deste ano.

 

Passo 2
Entre todos eles escolha 1 que faça mais sentido pra você no atual momento.

Eu sei que é difícil pensar lá na frente, mas é um exercício bem importante, e ao final deste post você vai me dar razão e vai ficar viciada em criar objetivos e metas pra você, eu garanto!

Vou usar um exemplo fácil que é o que todo dono de negócio quer:
Objetivo escolhido: aumentar as vendas

 

Pra chegar neste objetivo você vai precisar fazer uma série de ações pra alcançá-lo, certo? Certo. Então você vai precisar dividir este grande objetivos em tarefas menores e estabelecer metas pra cada uma delas. Veja no passo seguinte.

 

Passo 3
Agora divida o seu ano em porções de 3 meses cada. Para cada período de 3 meses você vai estabelecer 1 meta que deve estar alinhada ao seu objetivo final, que neste exemplo é aumentar as vendas.

Por exemplo:
– Nos primeiros 3 meses eu vou aumentar o meu número de curtidores no Facebook.
– Nos próximos 3 meses eu vou me dedicar a conseguir ter o meu trabalho publicado em alguma revista de moda.
– Nos 3 meses seguintes eu vou me preparar para a feira de Natal do fim do ano.

Ops, pra 2016 já não cabem 3 trimestres, mas você entendeu o espírito da coisa, certo?

 

“Mas eu tenho muuuuitos projetos, não quero abrir mão de nenhum!”

Escolher um único objetivo não significa que todo o resto do seu negócio vai ficar estagnado, parado e esperando que você dê atenção pra eles.

Não pense que escolher um objetivo é como um casamento onde você escolhe 1 e não pode mais olhar pro lado. O que vai acontecer é que focando a sua energia, sua criatividade e o seu tempo em apenas 1 objetivo, todas as outras áreas da sua empresa irão sentir o reflexo desse movimento.

E isso acontece porque todas as áreas do seu negócio estão ligadas entre si e quando uma é afetada todo o resto anda junto.

Digamos que na sua lista de objetivos tenha:
– aumentar as vendas
– participar de mais feiras
– aumentar o número de curtidores
– tornar minha marca mais conhecida
Y otras cositas mas.

Percebe que se eu escolher como objetivo principal participar de mais feiras, certamente vou conseguir aumentar meu número de vendas e minha marca vai se tornar mais conhecida? E aumentar o número de curtidores poderá ser mais um reflexo natural disso tudo. Está tudo ligado.

 

E por que não escolher várias pequenas metas?

Eu quero que você pense como se estivesse jogando pedrinhas em um lago. Quando você joga várias pedrinhas na água, você consegue produzir várias pequenas ondas, certo?

Agora imagina concentrar toda a sua força e energia em uma única pedra grande. Você vai produzir ondas gigantes que vão atingir todas as áreas do lago e ainda extrapolar a margem dele! No seu negócio não é diferente.

Você prefere ondas gigantes que causem impacto de verdade ou pequenas ondinhas pequenininhas que não fazem nem cosquinha no seu negócio ou na sua vida, hein?

Nem precisa responder.

Quando pensamos em muitas coisas ao mesmo tempo é difícil usar o nosso cérebro criativamente para cuidar de todos os assuntos. E é aqui que mora a grande sacada disso tudo, o que vai fazer toda a diferença:

Com o foco em 1 único objetivo por vez é muito mais fácil pensar em soluções criativas e superar qualquer obstáculo mais facilmente até chegar ao seu objetivo. Quer motivo melhor do que este pra trabalhar um assunto por vez e não tudo ao mesmo tempo? Poder usar todo o seu potencial criativo pra chegar no seu objetivo é muito bom.

 

Mas vamos voltar a parte prática que falta um passo bem importante.

 

O 4º passo

Pra você ter uma meta de verdade e que seja eficaz como deve, ela precisa ter 3 elementos:

– ser desafiadora
– ser mensurável
– ter um prazo definido

 

Se a sua meta, ou objetivo final for “aumentar o número de vendas”, você vai precisar acrescentar os 3 itens acima pra que ela funcione de verdade.

Só assim você vai poder saber se atingiu a meta ou se precisa fazer alguma mudança de percurso pra alcançá-la.

 

Digamos que hoje você venda 20 peças por mês e no mês que vem você vende 22. Você vendeu mais, certo? Então você já bateu a sua meta, certo? Se você estiver pensando pequeno assim, pode-se até dizer que sim, você bateu a meta. Mas vamos combinar que isso nem chegou a ser um desafio, né!

Se você aprimorar a sua meta para:
– Ao final de novembro meu negócio deverá estar faturando XX a mais do que hoje.


Agora você tem uma meta que é possível de ser medida, tem um prazo pra terminar e é desafiadora.
E o nível do desafio é você quem dá dependendo do valor e do prazo que der a ela.

E lembre-se das ondas gigantes! Um resultado pequenininho não vai causar nenhum impacto no seu negócio.

 

Como saber se uma meta é boa para mim e para o meu negócio?

Mantendo o exemplo de aumentar as vendas, então, uma boa meta seria:

“Duplicar a minha média de vendas por mês até o Natal.”
Ou
“Faturar R$ XX por mês até a virada do ano.”
Ou
“Conseguir ganhar R$ XX até o dia 15/out para fazer minha viagem de férias.”

 

Todas elas são desafiadoras. Se fosse fácil você já teria atingido e não precisaria estabelecer uma meta pra isto. Tudo o que for fácil de ser atingido já pode chamar de tarefa e não de meta.

 

Todos estes exemplos são mensuráveis. Em qualquer uma delas você consegue medir se a meta foi atingida, se foi ultrapassada ou o quanto faltou pra chegar lá.

 

E aqui tem mais um pulo do gato, se você não conseguiu atingir a sua meta você usa as informações que você tirou deste período pra avaliar o que poderia ter sido diferente, o que você pode mudar pra ser mais assertiva na próxima vez.

E todos estes exemplos tem um prazo definido. Você precisa ter uma data pra avaliar se a sua meta foi atingida ou não. Caso contrário pode levar uns 3, 5, 10 anos pra atingi-la, o que definitivamente não se caracteriza como uma boa meta.

E destes exemplos o terceiro é o melhor de todos porque você está tendo uma motivação a mais pra alcançar o seu objetivo. Não é só o dinheiro pelo dinheiro, tem algo mais palpável ainda, que te motiva a dar mais um gás pra atingir o seu objetivo. Saber que ao final de tudo isso está a sua tão sonhada viagem dá um ânimo a mais, não dá?


Meta com um propósito é muito mais fácil de ser atingida.
É como colocar a cenourinha na frente do cavalo, ele nem vai se dar conta que está correndo a tanto tempo, ele só quer a cenourinha dele pro lanche.

 

Tem medo de fracassar e não atingir as metas que você mesmo estabeleceu?

Muita gente não estabelece metas pra não correr o risco de fracassar.

Se você não atingir uma meta depois de ter se esforçado e focado nela, saiba que você não falhou nos seus negócios nem na vida. Você simplesmente teve um resultado diferente daquele que você estava buscando.

O que não deu certo não é um fracasso, é algo que não funcionou como você planejava. Com estas informações você vai tentar de novo, mas agora de uma forma diferente, como eu já comentei.

E é exatamente disso que se trata um negócio. A gente experimenta e testa coisas diferentes o tempo todo. Faz de novo o que deu certo e elimina o que não funcionou muito bem.

 

VOCÊ NÃO FALHA NUNCA, VOCÊ APRENDE SEMPRE.

 

E essa é a grande sacada que eu quero deixar pra você aqui. Você precisa aprender mais sobre o seu negócio que é diferente do meu e que é diferente do seu concorrente. E você só vai aprender mais sobre ele experimentando, medindo e mudando.

É assim que a ciência funciona, que a gastronomia funciona. Os dados dos testes viram conhecimento que vão impactar os seus próximos passos.

 

Escolha o seu destino

Não passe os dias deixando o vento levar o seu negócio pra qualquer lugar, sem ter uma direção definida. O seu GPS está esperando as suas coordenadas pra poder andar pra frente.


Só você tem o poder de escolher
pra onde quer que ele te leve. Não deixe que outras pessoas ou acontecimentos externos te direcionem. Assuma de uma vez o leme desse barco que você já colocou na água.

Você já fez isso quando resolveu ter o seu próprio negócio, agora é só apontar o barco pra onde você quer ir.

 

Agora chegou a hora em que você coloca a mão na massa.
O quê você quer para o seu negócio ou para a sua vida?
Quer ganhar mais dinheiro, ter mais tempo? Mas pra quê exatamente?
Defina o seu destino, o seu propósito. Seguindo estes 4 passos e acompanhando seu desempenho de tempos em tempos pra se manter no caminho certo, você chega rapidinho no seu destino!

 

E quer saber como não perder o foco com distrações? Leia este post aqui.
E neste outro post você vai aprender a atingir suas metas de uma vez por todas. Bom trabalho!